BLUES IN ORBIT – OBRA PRIMA DE DUKE ELLINGTON

Blues in Orbit é um álbum do pianista americano, compositor e líder da banda Duke Ellington gravado para o selo Columbia em 1959 e lançado em 1960. O disco não possui o prestígio intelectual das suítes e peças conceituais que se destacaram nas gravações de Ellington desse período, mas é um álbum que vale a pena ouvir. No álbum a banda percorre um lado mais leve do seu som.

Blues in Orbit é um álbum do pianista americano, compositor e líder da banda Duke Ellington gravado para o selo Columbia em 1959 e lançado em 1960. O disco não possui o prestígio intelectual das suítes e peças conceituais que se destacaram nas gravações de Ellington desse período, mas é um álbum que vale a pena ouvir. No álbum a banda percorre um lado mais leve do seu som.

Neste disco Ellington e sua banda estavam de volta de uma turnê européia quando entraram no estúdio e gravaram a maior parte das músicas em uma apenas uma sessão depois da meia-noite em Nova York em 2 de dezembro de 1959. Então, sem o polimento técnico de outros discos, alguns críticos escreveram na época que a banda estava retrocedendo e que essas peças eram menores. No entanto, nessa gravação o que aconteceu foi que o grupo improvisou de forma livre e intensa em vários pontos, visto que não haviam partituras em razão do copista convidado não ter comparecido.

A faixa-título, “Blues in Orbit”, gravada mais de um ano antes do resto, é um blues lento que coloca o piano de Ellington em um cenário de chamada e resposta com as buzinas, com Ellington chegando à última palavra. Em outra faixa, “Villes Ville Is the Place, Man” é um passeio estimulante e com ritmo de batida, destacado pelos solos de Ray Nance , Harry Carney e Johnny Hodges em trompete, sax barítono e alto, respectivamente. “Three J’s Blues” mostra o compositor Jimmy Hamilton tocando sax tenor em um cenário de blues exuberante. “Smada” apresenta Billy Strayhorn no piano e Johnny Hodges no alto, em um emocionante número de dança, e “Pie Eye’s Blues” é uma improvisação de estúdio quente com Ray Nance e Jimmy Hamilton trocando três solos cada.

Aqui você pode clicar e ouvir a faixa 10 do vinil “Blues in Orbit” que leva o mesmo nome do disco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*